Código CSC

As Notas Fiscais Eletrônicas (NFCe’s) são uma realidade em praticamente todo o território nacional. Ela conseguiu reduzir custos e agilizar muitos processos, e o Código CSC que é, nada mais, do que uma espécie de autenticador de tudo isto.

Pode-se dizer, inclusive, que sem ele não é possível emitir uma NFC-e e esta é um documento emitido e armazenado eletronicamente por todo contribuinte devidamente credenciado pela Secretaria da Fazenda, sendo, claro, de existência exclusivamente digital.

Neste artigo você vai ficar sabendo sobre o que é o Código CSC, como gerar Código CSC, o que é o CSC do cartão de débito, onde encontrar o Código CSC entre outros detalhes e informações importantes relacionadas. Confira!

O que é Código CSC, afinal?

O código CSC que é Código de Segurança do Contribuinte é requisito fundamental para quem toda e qualquer empresa possa emitir a sua Nota Fiscal do Consumidor (NFCe). 
 
Trata-se de um código alfanumérico com 36 caracteres, sequência esta que garante a autenticidade do DANFE das NFCe’s. O Código CSC é de uso exclusivo do próprio contribuinte e também da SEFAZ – Secretaria da Fazenda do respetivo estado deste mesmo contribuinte.

Ele garante não só a autenticidade como também a segurança do documento.

Como gerar o Código CSC?

Muitos se perguntam como ele é elaborado, ou como gerar o Código CSC. O mesmo deve ser obtido diretamente através da SEFAZ de seu respectivo estado e, inclusive, pode conter alterações de um estado para outro – onde em alguns locais você pode providenciar o seu CSC diretamente pela internet e em outro apenas presencialmente. 
 
É importante ressaltar que na maioria dos estados já é necessário ter o Código CSC para concluir o acesso às NFCe’s. Confira abaixo e clique nos links de cada SEFAZ que já conta com a obrigatoriedade de NFCe, lembrando que, como já dito, em alguns estados o credenciamento é presencial:
 
Código CSC Santa Catarina (SC) – ainda em processo de implementação; 

O que é o CSC do cartão de débito?

O que é CSC do cartão de débito é também um questionamento típico relacionado aos códigos autenticadores de todas as transações débito e crédito efetivadas pelos consumidores.

Em geral, são conhecidos como CCV, mas também recebem outras nomenclaturas como CVC, CSC, CVD ou CINs, tudo vai depender da operadora/bandeira do cartão.
 

Esta tecnologia autentica cada compra realizada, independentemente se esta compra é feita fisicamente, diretamente na loja, ou online, pela web. Quando a compra é realizada na loja física, o Código autenticador é lido automaticamente através da faixa magnética do cartão. 
 
Se a compra for realizada pela web, se faz necessário digitar o número autenticador (transações CNP – Cartão Não Presente) e isto é feito pelo próprio cliente do cartão.
 
Em compras online, compras físicas, etc., esta combinação funciona da mesma maneira que o Código CSC, ou seja, possuem a mesma função que é de autenticar uma transação comercial realizada.
 
Recentemente ainda surgiu o CVV Dinâmico, que apresenta uma tecnologia de ponta, com maior efetividade quando o assunto é segurança de transações comerciais. O CVV dinâmico também mantém a mesma sequência de 3 ou 4 dígitos já comumente utilizada nas demais tecnologias.
 
Seu diferencial está na aleatoriedade, onde estes números autenticadores são automaticamente renovados a cada 30/60 minutos. Isto evita, por exemplo, os conhecidos crimes cibernéticos. Em outras palavras, ainda mais segurança para as transações comerciais com cartões.

Onde Encontrar o Código CSC?

Para saber onde encontrar o CSC, basta acessar uma área restrita do próprio site da Secretaria da Fazenda do seu estado, através do código de acesso e senha do representante legal já previamente cadastrado.
 
Vale lembrar ainda que apenas o contribuinte poderá fazer esta solicitação e ninguém mais. Somente ele também poderá alterar, revogar ou consultar o CSC no ambiente de homologação e produção do site da SEFAZ. 
 
Feita a solicitação, o CSC sairá automaticamente. Cada empresa pode ter até dois CSC’s válidos e estes poderão ser utilizados em todos os estabelecimentos que já estejam inscritos na SEFAZ. 
 
Quando da configuração do programa emissor de NFCe’s, a identidade do token e o CSC devem ser informados.

Por último, mas não menos importante, é válido ressaltar a praticidade e rapidez da emissão de nota fiscal eletrônica por meio de um ERP de qualidade e, de preferência, já integrado aos outros processos empresariais.
 

Geralmente, o software de gestão já entrega mais essa facilidade, além de emitir boleto, controlar as vendas, estoque, cadastro de clientes, e o tão almejado controle financeiro.  

Deixe seu comentário
Deixe uma Comentário

GestãoClick
Logo
Enable registration in settings - general